FUNERÁRIA 24 HORAS

Blog da
família prever

Estamos inseridos na comunidade

INVESTIMENTO CONSTANTE EM INFRAESTRUTURA

Postado em: 10/08/2018

Para prestar um atendimento de qualidade é preciso que clientes e colaboradores estejam em um ambiente confortável e seguro. Por isso, vários investimentos estão sendo feitos em todas as unidades da empresa.


No Memorial Campos Elíseos o saguão foi ampliado e totalmente climatizado. Investimentos em pintura, papel de parede, iluminação e poltronas deixaram o ambiente mais moderno e confortável.


No Memorial Bom Pastor também foi feita a climatização de toda a área comum do prédio, inclusive com tratamento acústico, troca de móveis e pintura. As salas foram totalmente reformadas. A próxima etapa será a área externa do prédio, que ficará com uma fachada mais moderna.


Na Funerária Campos Elíseos a reforma e ampliação continuam. Já estão prontas a recepção, as salas de atendimento, setor administrativo e a próxima etapa será a fachada do prédio.


No Complexo Crematório foi feita a ampliação da administração, sala de entrega de cinzas, recapeamento do asfalto e foi instalada uma câmara fria maior, garantindo um melhor atendimento aos municípios da região metropolitana.


ConstruPrev - Para um maior dinamismo, o Grupo UniPrev - Prever criou um setor de construção, reformas e manutenção. “Com equipe de excelentes profissionais, construímos e reformamos de forma planejada para prestar sempre o melhor atendimento”, ressalta o engenheiro responsável Dr. José Anibal Laguna.


‘’O conforto proporcionado pelos novos mobiliários, a iluminação, as cores, a beleza interna e todos os detalhes foram minuciosamente pensados para proporcionar um ambiente de reflexão às famílias’’. Complementa Lucimara Fabiano, designer de interiores.


“É um desafio reformar um prédio de uso contínuo, pois a empresa trabalha 24h e não podemos parar as atividades. A reforma do Memorial Bom Pastor, por exemplo, foi feita sala por sala. E quando percebíamos que o barulho, a poeira, os trabalhadores e outros fatores incomodavam os familiares, parávamos tudo”, comenta Celso da Silva, Gestor de obras.